quinta-feira, 20 de junho de 2013

Taiti merece estar na Taça das Confederações?

Este golo já fez história:


Este foi o primeiro golo oficial do Taiti fora do seu país! Marcado por Jonathan Tehau, jovem de 25 nos que trabalha como entregador no seu país.

A selecção do Taiti é claramente uma equipa semi-profissional (ou deva chamar de equipa amadora?). Dos seus jogadores, só um joga a tempo inteiro. Trata-se de Marama Vahira, que joga no Panthrakikos FC, equipa do campeonato Grego. Mas vamos voltar um pouco atrás: Porque é que o Taiti está na Taça das Confederações?

A Taça das Confederações conta com 8 troféus já disputados. É organizada de quatro em quatro anos e junta o país Campeão do Mundo com os seis Campeões Continentais e a selecção do país organizador.  O Taiti é, para quem não sabe, uma pequena ilha situada na Oceania, continente onde o futebol não é um desporto desenvolvido como nos restantes continentes. Na última Taça da Nações da Confederação de Futebol da Oceania (CFO), o Taiti conseguiu vencer a prova garantindo assim um lugar na Taça das Confederações. Mas merece uma equipa como esta estar numa competição da FIFA?

A selecção vencedora da Taça das Nações da CFO disputou já dois jogos. Nos dois "conseguiu" sofrer duas pesadas derrotas frente a Nigéria (6-1) e Espanha (10-0). Em ambos os jogos esta selecção criou um grande ambiente de folclore nas bancadas cheias de brasileiros. Os da casa tentavam puxar por uma equipa que mais parecia um conjunto de pinos, como pode ser visto hoje, em pleno Maracanã.

O que de bom pode trazer esta selecção a uma competição Mundial?
Para o desenvolvimento do Futebol do Taiti, esta presença pode ser vista com bons olhos. Pode ser a chama que faltava para mostrar aos mais novos daquele país que um dia também podem estar numa competição Mundial, projectando a sua pequena nação para o resto do Mundo. Pode puxar pelo desenvolvimento do Futebol naquela região. Ou não?

Toda esta festa pode ser vista como um gozo para o próprio país! Pode ser a a pedra que faltava para enterrar o sonho de alguns jovens. Pode mostrar que não vale a pena apostar num desporto onde aquele país está a anos luz de distancia de outros países e regiões do planeta. Para toda a região da Oceania pode ser considerada como uma ofensa. 

Para o própria competição valerá a pena ter uma selecção que pode ser vista como o "bobo da corte"?
Pode não fazer sentido criar uma taça das confederações onde nem todos os continentes estão presentes. Mas jogos como o que vimos hoje não dignificam o Futebol Mundial. Apenas mostram que o Futebol ainda precisa de evolução em alguns cantos do Planeta. Peguemos no jogo Espanha-Taiti: não faz sentido haver um jogo numa competição como esta, onde nem é possível apostar que a Espanha vai ganhar, uma vez que isso é visto como certo! Quem emoção trás um jogo destes? Para quem gosta de ver golos este foi um bom jogo! Já para quem gosta de um futebol disputado este foi um jogo desmotivante e sem interesse!

Talvez fosse melhor organizar um campeonato como este sem estas equipas mas nos seus países. Porque não criar esta mesma Taça num continente como a Oceania? Talvez fosse mais empolgante para a região. Talvez criasse mais a intenção ao jovens de se tornarem jogadores profissionais. Talvez fosse uma maneira de desenvolver o Futebol daquela região.

Concordam com este tipo de jogos numa competição Mundial?

3 comentários:

Zé Pelé disse...

Por uma questão de justiça todas as confederações devem ter direito a apurar uma selecção. O erro aqui é que a confederação da Oceania devia seguir o que fez a Austrália. Face às poucas selecções que representa (apenas 11 e não qualifica nenhuma directamente para o Mundial, têm de ir a um play off) e depois de já ter perdido a selecção dos Cangurus para a Ásia, devia ela própria fundir-se com a confederação asiática. Isso dava oportunidade a selecções como as do Taiti de aumentar o número de adversários (alguns até de nível semelhante) a enfrentar, o que faria os seus jogadores evoluir.

Pedro Moutinho disse...

Exacto Zé Pelé! Essa seria a solução!

André Pires disse...

Olá Zé Pelé e bem vindo aqui ao Patadas! ;)

Bom, quanto a tua solução parece-me ser uma solução interessante. No entanto teria de ser conjugada com a politica dos continentes. Parece-me ser uma decisão mais complicada de se concretizar. Para além disso, juntando as duas competições seria ainda mais difícil haver um representante da Oceania na Taça das Confederações. Se reparares na Copa Asiática também existem equipas muito fracas e vez resultados bastante dispares. A junção destas selecções tornaria o campeonato Asiático ainda mais "folclórico".

Esta é uma questão claramente difícil de se resolver. Não estou contra a tua ideia, apenas me parece difícil de se desenvolver e talvez pior para as selecções da Oceania.

Cumprimentos

Enviar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!