segunda-feira, 24 de junho de 2013

É Português? Então não serve!

Quem ler o titulo e olhar para a imagem poderá ficar a pensar: "Mas que raio está esta imagem aqui a fazer?" A verdade é que pode representar de certa forma o que tem acontecido em Portugal, na Liga Portuguesa, e em especial no que acontece nos 3 grandes mas não ! Os jogadores portugueses têm uma grande dificuldade em chegar e jogar regularmente na Liga Portuguesa. Já tudo o que vem de fora é luxo. Tudo o que  vem de fora vem "de avião de luxo", craque, vai ser o futuro da Selecção do seu país! O português é "lixo", é jogado fora numa caravela antiga de madeira! Não presta, não serve!

Todo o jovem jogador português sonha puder chegar a Liga Portuguesa, actuar num grande, num Benfica, num Porto, num Sporting. Muitos conseguem vestir a camisola destes clubes quando representam as camadas jovens e de formação do clube... o problema é que são muito poucos os que acabam por conseguir vestir a camisola da equipa A.

 Fonte: Liga Portuguesa de Futebol Profissional.
Segundo os dados da Liga Portuguesa de Futebol, os jogadores portugueses representam 53% da totalidade dos jogadores presentes na  Liga. No entanto este numero é bastante mentiroso. Isto porque os jogadores das equipas B também são contabilizados para estes resultados. Sem estes jogadores este numero deve baixar muito, provavelmente para valores inferiores aos 50%. A destacar aqui o "excesso" de estrangeiros e, em especial, de Brasileiros.

Contando com os jogadores que estiveram presentes em  pelo menos uma ficha de jogo da Liga Portuguesa, o FC Porto é a equipa que menos portugueses usou, contendo apenas 6 portugueses (Fonte: zerozero). Pelo mesmo critério pode dizer-se que o Guimarães foi a equipa mais portuguesa da Primeira Liga, com 25 jogadores. Este número muito se deve à crise financeira que o clube da Cidade Berço enfrentou, que recorreu aos jogadores da equipa B para construir um plantel com uma massa salarial mais baixa. Numa comparação dos três grandes o Sporting tem clara vantagem ao ter 15 portugueses, frente aos 12 de Benfica e, como já referido, os 6 do Porto. No caso do Sporting este valor é conseguido muito à custa da crise financeira que teve e a falta de empenho de alguns dos jogadores estrangeiros. Nas restantes equipas o destaque vai para o Gil Vicente que teve apenas 9 portugueses.

 Fonte: Liga Portuguesa de Futebol Profissional.
Já na Segunda Liga O Braga-B foi o vencedor do mentiroso troféu, uma vez que mais uma vez os dados não são certos. Neste caso são os jogadores das equipas A  que são usados para estes dados. Mais uma vez existe uma grande número de estrangeiros. Só Brasileiros representam certamente mais de 20%. Uma Segunda Liga deve ser usada, quanto a mim, como trampolim para o salto dos jovens portugueses para a Liga.

Voltando à  Liga: É admissível este excesso de estrangeiros? Os presidentes, treinadores e todos os envolvidos nos processos de contratações deveriam ser mais patriotas e procurar mais os jogadores portugueses? Veja-se o caso recente de Neto, um grande central que se está a impor na selecção nacional. O Sporting tem neste momento 15 jogadores portugueses mas, se tivesse num estado económico estável, teria este numero? Quer as pequenas equipas, quer as médias, quer os três grandes têm um grande numero de estrangeiros. Porquê esta falta de aposta no jogador português? Serão precisas regras a aplicar a todos os clubes para resolver esta questão? Como se podem aplicar tais regras se quem manda na própria Liga são os clubes?

Num próximo post será abordado um tema que tem claramente a ver com este: a politica das contratações.

Sites Relevantes:
Liga Portuguesa de Futebol Profissional
Zerozero

13 comentários:

Fabio Sabino disse...

desculpa me la, mas nao me lembro de ver o porto a jogar com um 11 sem portugueses, ao contrario do que me lembro ter acontecido uma serie de vezes na cesta do pao

André Pires disse...

Boas Fábio Sabino. Bem vindo!

Quanto ao que referis-te é um facto. O Porto jogou sempre (ou quase) com Moutinho em campo. Logo, sempre com um português. Mas isso não vai contra o que descrevi. O facto de o Porto ter sempre um português em campo no seu onze é, quanto a mim, algo que devia ser seguido por todos os clubes e devia ser regra.

Cumprimentos

Fabio Sabino disse...

e nao acho que o neto ja seja um central ao nivel do que a seleccao nacional nos tem habituado, se fores analisar os lances dos golos que a seleccao tem sofrido has de reparar que a maior parte deles tem erros do neto, nao so dele, mas como ultimo central nao pode errar nem pode facilitar. a verdade é sim é um problema nao só de agora mas já de há muitos anos o facto dos clubes portugueses estarem mais interessados no mercado internacional do que apostar na formacao ou no mercado interno, mas a verdade é que tem dado frutos. comparemos entao a situacao dos 3 grandes onde o sporting foi o clube que mais apostou em jogadores da sua formacao e benfica e porto que apostaram mais no mercado sul americano: nao ha comparacao, hoje existe uma discrepancia enorme na qualidade do futebol e na dimensao internacional dos clubes, reflectido tanto em titulos nacionais e europeus como tem sido o caso de os ultimos dois terem tido destaque nos ultimos mercados de transferencias (sendo que com o porto ja vem a acontecer desde 2004) com transferencias de jogadores para o estrangeiro por valores exurbitantes, casos de Hulk, Witsel, Di Maria, David Luiz, Coentrao, James e Moutinho, Pepe, Anderson, Ricardo Carvalho, Deco, Paulo Ferreira e por aí em diante, em contraste com o sporting que teve um bom encaixe com Nani e poderia ter mais com Moutinho nao fosse a maçã estar podre.

Podiam os clubes apostar mais em jogadores portugueses? Podiam, mas nao era a mesma coisa.

André Pires disse...

Discordo contigo quanto em alguns pontos. Para mim o Neto era titular em qualquer clube Português e foi o melhor elemento da defesa no ultimo jogo da selecção nacional.

Quanto ao que referiste sobre as transferências históricas que têm sido conseguidas. Referis-te 13 jogadores. Desses 13, 6 são portugueses. Desses 6, nenhum deles custou mais de 5 milhões ao clube que o acabou por vender por milhões. Talvez os jogadores que deram mais lucro terão sido os portugueses não achas?

Concordas então com o actual tratado? Concordas, por exemplo, que o número, quanto a mim, avultado de jogadores que representam as equipas da 2ª Liga? concordas então com o facto de haverem clubes na 1ª liga como o Gil Vicente que apenas têm 9 jogadores portugueses?

Zé Pelé disse...

Concordo que se devia apostar mais nos jogadores portugueses. Mas há algumas questões que levam a que a aposta não seja mais forte (o que não impede que essa estratégia do jogador estrangeiro não seja criticável). Aliás, a aposta em jogadores estrangeiros não é um exclusivo do futebol português. Há campeonatos como o inglês em que há equipas que têm o 11 feito praticamente só com estrangeiros.

Em relação ao Benfica e ao Porto tem a ver com o modelo de negócio. Os azuis e brancos são reconhecidos por muita gente como um dos clubes com melhor modelo de negócio, que passa por contratar jovens sul-americanos para os potenciar e vender (James, Falcão, Anderson, por aí fora). Por vezes, também conseguem potenciar jogadores portugueses. O Benfica teve o futebol de formação completamente arrasado durante anos e só agora está a desenvolver como deve ser essa parte do seu futebol (que já se reflecte nas convocatórias para as selecções jovens), portanto é uma aposta que a dar frutos ainda irá demorar uns anos. Apesar disso, é incrível como os encarnados não dão mais oportunidades a jogadores como Miguel Rosa ou como desperdiçam Ruben Amorim quando não têm médios centro suficientes no plantel. Além disto, o Benfica está a tentar replicar o modelo do FC Porto e com algum sucesso (Di Maria, David Luiz e por aí fora).

Em relação ao Sporting. Foi um erro a aposta em jogadores estrangeiros com salários elevadíssimos em detrimento da prata da casa (e a prata da casa tem mais qualidade que os Schaars e Boulharozes desta vida).

Mas nos três grandes (principalmente no Benfica e no Sporting) há um problema. Os jovens que chegam à equipa principal e se destacam começam logo a pensar em sair para se lançarem para outros voos (ver caso Bruma, caso Ilori e muitos casos assim houve no passado).

Em relação às equipas mais pequenas há outro problema. O jogador médio português está a optar por emigrar para os Chipres e Roménias porque aí consegue um salário três vezes superior ao que ganha num Setúbal ou num Nacional da Madeira. Assim, os clubes de menor dimensão têm dificuldade em contratar jogadores portugueses com alguma experiência e qualidade.

Se se devem tomar medidas e mudar as regras, dever devia, mas não é fácil. A legislação europeia impede que se discrimine (no futebol ou em qualquer outra actividade) os trabalhadores por causa da nacionalidade. Talvez se possa fazer alguma coisa em relação aos extra-comunitários, mas eles rapidamente arranjam um passaporte de um país da UE e aí nada a fazer. Penso que uma boa medida para defender o jogador jovem português foi a das equipa B na II Liga. Mas também aí é preciso que os clubes não sobreponderem o papel de jogadores estrangeiros e que dêem espaço aos jovens portugueses.

Mas tudo somado, o futebol português parece competitivo. Temos muitas equipas na Europa e a fazerem boas campanhas (melhores que a de clubes de campeonatos muito mais ricos), o que significa que o modelo seguido não está totalmente errado em termos desportivos. Agora que o futebol fica descaracterizado com este entreposto comercial de jogadores estrangeiros que entram e saem todas as épocas, fica.

André Pires disse...

Boas Zé Pele. Bem-vindo de novo.

Gostei muito da tua opinião. Pode ver-se como o reverso da moeda do que eu acho. O Futebol Português está bom e recomenda-se. É de facto impressionante a capacidade que Benfica, Porto, Braga... têm de lutar contra equipas endinheiradas.

A grande questão é: então e a selecção nacional? Achas normal o Benfica não colocar nem 1 jogador na Selecção? O Benfica está a fazer um bom esforço nas camadas jovens e começam a aparecer alguns bons jogadores, como por exemplo André Almeida, que para mim dentro de 2 anos será jogador da selecção A. Nelson Oliveira é um caso especial para mim. Primeiro porque não estava no Benfica mas sim no Deportivo. Segundo porque só foi chamado a selecção devido a falta de jogadores competentes para aquela posição. Não me admirava nada ver Aladje dentro de 1 ano na selecção A. O rapaz tem cá um porte físico!

Acho que deviam ser impostas regras. Como as dos extra-comunitários. Pode ser facilmente ultrapassável mas nem sempre seria possível de ultrapassar.

Barros disse...

Viva,

Para mim era imperativo que, à semelhança do que acontece em Espanha, se crie a regra de limitar os extra-comunitários a actuar no campeonato. Mesmo que, como referiram, alguns arranjem esse passaporte europeu, iria existir uma grande limitação na contratação de estrangeiros.
Só assim, infelizmente, se conseguiria colocar o jogador português em pé de igualdade com qualquer outro. Porque, em Portugal, ser jogador português é um atributo negativo.

Porto jogou sempre com Moutinho. E daí? Para o ano joga a época toda com o Josué, e daí? Por jogar com um português numa equipa de 11 passa a apostar na formação? Qual foi o último jogador português formado pelo Porto e que tenha projecção nacional (já nem digo mundial).
O Porto compra jogadores sul-americanos de 20 anos e vende-os passado 3 ou 4 anos a bons valores. Mérito para a excelente gestão. Pena é não conseguir fazer isso com o jogador português. Tem menos qualidade? Trabalha menos? Acho que não. A comissão do empresário é que não deve ser tanta.

Abraço.

Fabio Sabino disse...

Andre Pires, dei te 13 Exemplos, nao sao todos os casos de sucesso, e se desses 13 ha 6 que sao portugueses quer dizer que entao se esta a apostar em bons jogadores portugueses, nao em todo o homem que calca umas chuteiras, e esses bons jogadores portugueses tambem gostam de ver uns milhoezinhos nas contas tal como os clubes que representaram.

Falou se em comissao dos empresarios, mas por exemplo os jogadores formados pelo sporting tem como agente um israelita, deve de ser porque a comissao dele nao e tanta como a dos agentes portugueses... depois acontece como o Bruma que nem quer a oportunidade no sporting.

os clubes de futebol sao um negocio, SAD, e como qualquer negocio tem que apresentar lucros, isso e que e o mais importante no futebol hoje em dia, nao so em portugal como em todo o mundo.

E nao e por nao se apostar em jogadores portugueses que nao temos uma boa seleccao, apenas nao temos um unico ponta de lanca, em compensacao temos extremos que nunca mais acabam com uma qualidade no minimo boa, meio campo forte e uma das melhores defesas do mundo (em tempos, quando nao tinhamos centrais que faziam um bom jogo, faziam todos os jogos bem). Talvez o que seja preciso mudar seja nas formacoes, quem tem boas formacoes que ensine pontas de lanca tambem, pois esses, a excepcao do nelson oliveira, sao formacao FCP. A melhor defesa que a seleccao apresentou foram jogadores do Porto, o melhor meio campo que a seleccao apresentou foram jogadores do FCP, caso moutinho a parte que ja era elemento determinante apesar de ter sido considerado podre para a elite da formacao nacional. Por isso Barros nao percebo o teu ataque direto ao modo como o Porto e gerido, porque pelos vistos tem comprados sul americanos de 20 anos para os vender 3 ou 4 anos mais tarde mas tambem tem posto grandes jogadores na seleccao. Formacao? nao, esse nao e o proposito do FCP, tal como o proposito do Nacional da Madeira nao e ganhar o campeonato, contudo tem aproveitado bastantes jogadores portugueses que para alguns nao servem, caso maniche, moutinho, e tem emergido algumas estrelas de formacoes nao tao estonteantes como a de alvalade, bruno alves do guimaraes e paulo ferreira do pacos de ferreira sao alguns exemplos. Agora pergunto eu qual é a ajuda que o maior rival do Porto, o Benfica, da para a seleccao se nem 1 portugues joga de inicio? qual e a ajuda que o Sporting esta a dar a seleccao se nem permite aos jovens jogar nas competicoes europeias? Sao chamados 3 grandes, nao é chamado o enorme e os dois aspirantes.

Barros disse...

Viva,

Sabino apenas respondi a um argumento que para mim só serve para tentar "desculpabilizar" o Porto por ter poucos portugueses. "Ah mas tivemos sempre um português de inicio". Como se isso fosse suficiente para um clube PORTUGUÊS.
Eu não ataquei a gestão do Porto, aliás já por várias vezes lhe dei crédito e no meu comentário referi isso. O Porto não sabe contratar mal, consegue em 90% dos casos comprar por 1 e vender por 10. Agora no que toca ao jogador Português é que a cantiga é diferente. Não tem formação, simplesmente. Ou se tem, não aposta nela. Continuo à espera que me digam um jogador que tenha feito o trajecto formação-senior com sucesso nos ultimos 10 anos.

Quanto à questão do Porto ter ou não mais responsabilidade. É falso que tenha mais responsabilidade. Tem a mesma que os outros clubes dito grandes. A selecção pode agradecer aos 3 GRANDES o estado em que está. E quem pensa que temos uma boa selecção com soluções em todas as posições exceptuando a frente de ataque, está mesmo muito enganado. Porque não basta pensar apenas num horizonte de 3 ou 4 anos mas sim de 8 ou 9.

Cumps.

Pedro Moutinho disse...

Mas tu estás a chamar aspirante a quem???
A QUEM?? AO BENFICAAAA??
Nao estou a entender.. repete lá.
Mas tu és de que clube??
Quem é que tem mais campeonatos portugueses?? Quem tem mais socios? E adeptos? E o maior estadio??
Aspirante é a tua tia!

Pedro Moutinho disse...

Pensando melhor.. tu tens razão Sabino!
1 grande - Porto, 2 aspirantes - Braga e Sporting
Porque o Benfica é enormeeeeee

Fabio Sabino disse...

Respondendo a todas as tuas perguntas e acrescentando outra ao teu leque: quem é que se chama aquilo que nao é? - O Benfica.

Vejamos:
Entitulados Campeoes Nacionais 2012/13
Entitulados Vencedores da Liga Europa 2012/13
Entitulados Vencedores da Taca de Portugal 2012/13
Entitulados Gloriosos

E agora te pergunto:
durante toda a tua vida quantas vezes festejaste um titulo do teu grande clube e quantas vezes viste os outros festejarem?

BTW, quando digo sao entitulados 3 grandes estava me a referir no que toca á obrigacao de colocar jogadores na nossa seleccao, nao queria ter que te dizer aquilo que tu ja sabes mas nao queres acreditar.

André Pires disse...

Boas,

Deixem-se de clubismos! O que está aqui a ser debatido é o Jogador Português! Nem o PORTO nem o Benfica fazem bem o papel de defender o jogador portugues! E o Sporting, se tivesse dinheiro e não estivesse no buraco em que está, fazia o mesmo! Enchia o seu onze de estrangeiros!

Sabino: Ficou visto qual é o teu clube desde o inicio. Mas será que consegues deixar o teu clube de lado e veres o que passa acima do que os teus dirigentes dizem? Dou-te mais uma oportunidade. Não me desapontes!

Enviar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!