quinta-feira, 13 de junho de 2013

Apostas de Risco



Porto e Paços de Ferreira começam a época com caras novas no banco de suplentes e não são apenas jogadores. A saída de Vítor Pereira do comando técnico dos actuais campeões nacionais veio agitar um pouco as águas no que toca aos treinadores da 1ª Liga, dando azo a que Paulo Fonseca, homem que levou o Paços de Ferreira à sua melhor classificação de sempre no campeonato (3º lugar) e, por conseguinte, ao playoff de acesso à Liga dos Campeões fosse o escolhido por Pinto da Costa para liderar os azuis e brancos na demanda pelo tetra-campeonato.
Para muitos será uma aposta de risco, para outros uma escolha acertada. Certo é que Fonseca fará, apenas, a 2ª época ao mais alto nível. Tendo tido uma carreira sustentada em bons resultados na qual foi subindo degrau a degrau até chegar ao campeonato principal, Paulo Fonseca pode ser mais um caso a juntar ao largo rol de treinadores de sucesso contratados pelo presidente portista, alguém que nunca se engana e raramente tem dúvidas. Mas não será fácil. O Porto vive um período de renovações. As saídas de James e Moutinho, duas peças fundamentais e a mais que certa venda de Fernando são perdas fulcrais no xadrez dos Dragões. Fonseca terá de baralhar e voltar a dar, esperando que o Verão traga algumas ondas com jogadores de qualidade. Acredito que a Supertaça seja um jogo importante para ganhar "moral" e para dar, desde logo, o primeiro título a este jovem treinador. Se o inicio da época correr de feição, então poderemos ter aqui um caso sério de sucesso na senda de José Mourinho e André Vilas-Boas.

Por sua vez, o Paços de Ferreira, contratou Costinha para o lugar de treinador dos castores. O ex-internacional Português, campeão europeu pelo Porto e com experiências menos positivas como director-desportivo no Sporting e treinador no Beira-Mar (pegou na equipa a poucas jornadas do fim e não evitou a descida) é outra aposta que gera algumas dúvidas entre aqueles que seguem o campeonato nacional. A experiência enorme como futebolista, é certo, ninguém a pode negar mas tenho dúvidas que chegará para triunfar num clube que pode ter na próxima época a mais importante da sua história. Vai ser difícil fazer melhor e muito fácil fazer pior. O trabalho terá que andar de mão dada com a sorte e Costinha poderá também contar com outra figura de relevo na sua equipa técnica. Maniche, outro ex-internacional português e também campeão europeu pelo Porto estará com o "Ministro" nesta aventura na Capital do Móvel. E se o técnico principal já teve experiências nestas andanças, Maniche abraça o banco pela primeira vez.

São duas apostas de risco, num jogo onde muitas vezes no "arriscar é que está o ganho".


2 comentários:

Gonçalo Borges disse...

Paulo Fonseca vai ter a vida muito complicada. Acredito que o Benfica vai estar em alta rotação desde as primeiras jornadas, enquanto que o Porto vai ter de crescer no campeonato e vitória após vitória. Contundo é isto que o Porto faz melhor, alimenta-se de vitórias e isso fá-los mais fortes, enquanto que o Benfica parece que as vitórias lhe fazem mal... Muita febre de vencer e depois perdem tudo... Mas ainda assim, acredito que principalmente Jesus não vai cometer os mesmos erros e que o Benfica surge como principal candidato ao título na próxima época. Não esqueçamos que Pinto da Costa esteve quase a "roubar" Jorge Jesus aos encarnados e este facto diz bem da qualidade do treinador

Costinha e Maniche são de facto apostas arriscadas. Ainda mais que a de Fonseca para o Porto. Não tenho conhecimentos suficientes para dizer com certeza que o Costinha vai fazer um bom trabalho.

E a aqui surge um dúvida: o que será um bom trabalho para o Paços de Ferreira?

Certamente que a equipa galvanizará de facto entrar na fase de grupos da Liga dos Campões. Coisa em que não apostaria. E depois em termos de competições do nosso país: será que vai surgir como um novo Braga e lutará por um 3º/4º lugar com os dois Sporting's? Sinceramente, penso que não. Mas veremos.

Cumprimentos,
Caceteiro Borges

Barros disse...

Vai ser uma escolha difícil para o Paços. Qualquer que seja a competição (Champions ou Liga Europa), vai proporcionar um desgaste enorme aos jogadores. Isto sem contar ainda com as taças de portugal e da liga. Veremos se terão plantel para embarcar na viagem. E veremos se têm treinador que perceba isso.

No Porto, foi como referi - continuo a achar que vai depender muito do primeiro terço da época. Se entrarem bem, são tão ou mais candidatos que o Benfica. E é normal que assim seja. O Porto, não esqueçamos, é tri-campeão nacional.

Enviar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!