quarta-feira, 22 de maio de 2013

Análise às equipas da liga zon sagres 2012/2013 – Parte II




Vitória de Guimarães – O lugar no campeonato (9º) pode não ser o melhor mas visto que atingiu a final da Taça que lhe garante o acesso à Liga Europa podemos considerar boa a época deste Vitória que teve a coragem de rescindir com os jogadores que tinham ordenados insuportáveis com a realidade que o clube atravessa podemos considerar que foi uma boa época. Tiago Rodrigues foi o homem chave do Guimarães sendo já pretendido pelo FCP.

Marítimo – Desilusão na Madeira. Depois de terem feito uma excelente temporada na época passada esperava-se mais dos homens de Pedro Martins. Provavelmente estiveram pior devido ao facto de terem estado presentes na Liga Europa, teoria que é explicada pelo facto de terem feito uma segunda metade melhor que a primeira, mesmo assim ficam de fora dos lugares cimeiros. Rafael Miranda foi o homem chave segurando o meio campo como há muito o vemos fazer.

Académica – Mais do mesmo da equipa de Coimbra, não há muito a dizer, têm períodos mais fortes que outros mas no fim acabam sempre por ser os primeiros dos últimos conseguindo fugir à despromoção com um falso ‘à vontade’. Ricardo foi o homem chave segurando muitos resultados da sua equipa com grandes exibições, chegou a ser falado até para ser chamado à seleção nacional.

Setúbal – Os homens de José Mota fogem à despromoção por pouco, conjunto muito fraco que viu sair o seu abono de família em Janeiro. Fizeram uma primeira volta bastante melhor do que a segunda. Não se pode considerar uma má época visto que é a equipa com o orçamento mais baixo da liga e o seu objetivo é a fuga à despromoção. Meyong foi o homem chave desta equipa mesmo tendo saído em Janeiro. Incrível a metade de época que fez marcando 13 golos e ficando em 5º na lista dos melhores marcadores.

Gil Vicente – Esperava-se muito mais do Gil Vicente depois da época de estreia que tinham feito. Não começou mal mas depois dos primeiros jogos o resto primeira metade foi muito má, melhorou um pouco na segunda metade devido à entrada de Hugo Vieira. No entanto mantêm-se na primeira liga. O jogador chave desta equipa foi André Cunha, muito consistente no meio campo.

Olhanense – Escapou à descida por uma unha negra. Assim não dá, ano após ano o clube passa por muitas dificuldades que se traduzem invariavelmente em ordenados em atraso e falta de pontos, a dança de treinadores faz efeito nas duas primeiras semanas mas depois passa. O homem chave foi, como não poderia deixar de ser, o guarda-redes Bracalli que fez excelentes exibições garantindo pontos ao Olhanense como no estádio do dragão.

Moreirense – A fava calhou-lhes, ao intervalo do último jogo estavam acima da linha de água. A estreia na liga pesou aos homens de Moreira de Cónegos que não aguentaram a dificuldade da liga principal. No entanto é de realçar as dificuldades pelas quais as equipas que jogam fora encontram neste estádio. Têm de melhorar para ficar na primeira liga. Ghilas foi o homem chave desta equipa, o argelino encantou na liga e é fortemente pretendido por várias equipas na Europa com o Sporting como principal pretendente.

Beira-Mar – Grande desilusão da Liga, não se previa que descesse e no entanto ficou em último. Uma defesa muito permeável. A escolha de Ulisses para treinador foi muito má e os resultados estão à vista, por último a direcção ainda deu um tiro no escuro ao escolher Costinha para orientar a equipa mas o seu destino estava traçado. Rúben foi o homem chave desta equipa destacando-se dos demais por uma excelente qualidade técnica. 

0 comentários:

Enviar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!