sábado, 5 de janeiro de 2013

Brasileirão - Aceitam-se Estrelas

Ao ontem lhe ter trazido um texto sobre as principais mexidas ocorridas, até agora, no mercado de Inverno, uma ideia que já tinha à alguns meses acentuou-se. O Campeonato Brasileiro está numa ascensão brutal face ao que se verificou nas ultimas décadas.
Até à algum tempo, o sonho de qualquer jovem brasileiro era dar o salto para uma Europa desenvolvida e jogar num dos grandes clubes europeus. O leque de escolha era variado, as condições económicas e o nível de vida praticado no continente europeu eram apetecíveis e daí que os melhores jogadores brasileiros rapidamente saltassem para este lado do Atlântico. Muitos deles, fizeram-se autênticas lendas do desporto como foi o caso de Ronaldo ou Ronaldinho Gaúcho. 
Depois do trajecto feito na Europa, muitos ainda voltavam ao país natal para competir mais duas ou três temporadas (os nomes mencionados acima entram neste lote) mas num nível mais baixo. 

Mas face à grave crise económica que a Europa vive, afectando 99% dos seus clubes e o incrível desenvolvimento económico que o Brasil verificou nos últimos anos, o paradigma parece estar a mudar. Muitos jogadores estão a preferir ficar em terras de Vera Cruz por já não compensar, do ponto de vista financeiro, a mudança de campeonato. O risco da aventura não correr bem tem, também, de ser tido em conta. 

A transferência de Pato do Milan para o Corinthians, apesar de ser em condições especiais, é o mais recente caso desta tendência cada vez mais comum nos dias que corre. Temos, já esta época, alguns nomes interessantes como Renato Augusto (médio de 24 anos do Leverkusen para o Corinthians) ou Zé Eduardo (avançado de 25 anos do Siena para o Vasco, por empréstimo). Outros mais poderão juntar-se a esta lista como Elias do Sporting ou Robinho do Milan.
Assim será a partir de agora: ou clubes com donos de grande poder económico dispensam grandes quantias para ir buscar os jogadores brasileiros (como PSG/Chelsea fizeram com Lucas/Oscar) ou teremos cada vez menos jogadores brasileiros no continente europeu e os que por cá andarem não serão de grande nomeada. 
Será esta uma boa oportunidade para, por exemplo, se apostar mais em jogadores portugueses? Esperemos que sim! 

6 comentários:

Pires disse...

A economia Brasileira está forte e em crescimento (deve ser das poucas) e isso tem privilegiado os clubes brasileiros e os seus jogadores. Este facto parece estar a levar jogadores brasileiros a voltar ao pais, ou a não sair deste, ou até jogadores de outras províncias a verem com bons olhos a possibilidade de jogar por terras que já foram Portuguesas.
Eu acredito que nisto tem muito o dedo dos empresários dos jogadores, pois jogador que quer ser conhecido e quer testar os seus dotes é na Europa que melhor o pode fazer. É na Europa que se vê o grande futebol, com os melhores jogadores. É na Europa que estão os grandes estádios, os grandes adeptos, e grande economia gerada em torno do futebol.

Pires disse...

Esqueci-me de falar no que isto pode interferir no futebol Português.

Com isto é de crer que hajam mais oportunidades para os jogadores Portugueses. Mas a busca pelo sul americano vai continuar com os mesmos níveis que está creio. Ou seja, haverão mais lugares para os Portugueses mas em percentagem não deve variar.

Quanto isto acho que deviam ser tomadas mais medidas para promover e proteger o jogador português.

MrGonyalo disse...

Concordo com o Pires "deviam ser tomadas mais medidas para promover e proteger o jogador português".

Deixo um sugestão aos Presidentes (não aos empresários que esses têm feito um bom trabalho, têm enchidos os bolsos à brava) apenas se contratam jogadores de fora SE forem melhores/superiores aos que estão cá dentro (enfim, jogadores que podem fazer a diferença). Se não, então aposte-se na formação, correndo-se alguns riscos.

Fica a sugestão. Que acham? Concordam ou nem por isso?
Cumprimentos

Pires disse...

A sugestão que tu sugeres tem um problema que é a supervisão disso. Fica a ideia mas a supervisão seria difícil de controlar. E depois vão ver casos que podem parecer favores a umas equipas, que não acontecem noutras. Basicamente essa medida poderia dar mais novela.

Acho que uma boa medida poderia ser a PROIBIÇÃO de jogadores estrangeiros abaixo da liga Orangina. Para casos de descida ou subida entre a liga Orangina e as mais baixas poderia ser dado um ano de adaptação. Isto para não obrigar a equipa a vender os seus jogadores estrangeiros. Seria uma medida chata para equipas como Sporting da Covilhã que estão sempre na cauda da Liga Orangina em risco de descer e que costumam andar a descer e a subir.

MrGonyalo disse...

Para Pires:
Creio que me expliquei mal. A medida não é obrigatória. É uma sugestão aos PRESIDENTES/DIRIGENTES dos clubes.

Temos de pensar em todas as implicações que a PROIBIÇÃO de jogadores estrangeiros teria. Enfim, a PROIBIÇÃO (total) faz nenhum sentido num país democrático e cada vez mais aberto a estrangeiros (em qualquer área profissional). Talvez uma LIMITAÇÃO seja o termo mais correcto. Sim, creio o caminho passa (também) por uma limitação (maior) do jogador estrangeiro a actuar nas ligas que não sejam as profissionais

Cumprimentos

Pires disse...

Não creio que isto vá lá com sugestões. Tem de ser uma limitação/obrigação para todas a equipas que estejam no mesmo campeonato.

Enviar um comentário

Aqui não há lápis azul, aqui não há comentários rejeitados. Portanto: Escreve praí!